A Linguagem de Programação – Para quem nunca programou – A linguagem

Você é uma daquelas pessoas que nunca teve contato com uma linguagem de programação? Porém tem interesse ou curiosidade sobre o assunto, mas sempre que acessa um curso ou uma matéria específica acaba não entendendo nada e já desiste de pesquisar sobre, pois acredita que isso não é para você?

Não se preocupe, eu já passei por isso também, sempre navegando entre sites e indo em bibliotecas para pesquisar livros para tentar entender sobre o assunto, porém sempre me deparava com jargões técnicos que me colocava em check, o que me desanimava e acabava me colocando na estaca zero novamente.

Certo dia, estudando para uma concurso público, tive a oportunidade de assistir algumas aulas de um professor de língua portuguesa, do qual argumentava com autoridade sobre a palavra “Linguagem”, independente de seu formato, de seus signos e estrutura, e foi em uma destas aulas que ele abriu a minha mente, quando disse a seguinte frase: “Linguagem remete a comunicação, para nos comunicar temos que usufruir de uma linguagem, seja ela qual for, desde que as extremidades a conheça”.

Após esta frase, apareceu uma enorme luz no túnel obscuro que eu caminhava e tudo passou a ter sentido, pois eu estava tentando aprender uma nova “Linguagem”, sem saber que era uma “Linguagem”!

Foi então que percebi que o termo “Linguagem de Programação” me submetia diretamente à ideia errada de que, A Linguagem de Programação é um conjunto de códigos indecifráveis e confusos, que tem a intenção de fazer uma determinada máquina, executar tarefas pré-definidas.

Mas o que é linguagem? Foi à pergunta que me veio à cabeça. E então descobri que na realidade, linguagem é o uso de códigos ou símbolos como forma de expressão e comunicação entre as pessoas, e no mundo da tecnologia, é a forma que o homem encontrou para se comunicar com a máquina.

Para podermos começar bem nosso diálogo sobre “Linguagem de Programação”, vamos primeiramente entender o que é “Linguagem”.

1. A linguagem

A linguagem é qualquer meio sistemático de comunicar ideias ou sentimentos através de signos convencionais. Podemos utilizar a linguagem em sua forma escrita, como também utilizá-la em forma falada, ou em forma de gestos ou até mesmo em forma de imagens, o seu grande objetivo é fazer com que o emissor consiga transmitir a mensagem ao receptor e estes consigam se entender e se interagir.

A linguagem pode ser verbalizada, e daí vem à analogia ao verbo, ou seja, é praticamente impossível se comunicar verbalmente sem utilizar verbos, em outras palavras, a “Linguagem Verbal” é a que se utiliza de palavras quando se fala ou quando se escreve.

A linguagem pode ser não verbal, ao contrário da verbal, não se utiliza do vocábulo das palavras para se comunicar. O objetivo, neste caso, não é de expor verbalmente o que se quer dizer ou o que se está pensando, mas se utilizar de outros meios comunicativos como: placas, figuras, gestos, objetos, cores, ou seja, dos signos visuais.

Em um contexto mais abrangente, a linguagem é o meio de comunicação entre dois extremos, sejam estes pessoas, animais ou máquinas, dos quais podem ter dialetos, línguas e formas de expressões diferentes, como já conhecemos entre regiões, estados e países.

Mas o que tudo isso tem a ver com a linguagem de programação? Muito, ou podemos dizer, tudo!

2. A linguagem de Programação

Nada é diferente daquilo na linguagem de programação, vamos para uma breve analise de sua história:

Com o surgimento das máquinas “inteligentes” o homem passa a se comunicar com elas. Cria-se uma nova linguagem, a do computador, do qual, em sua definição, só consegue compreender os símbolos “0 e 1” (Eis os signos da linguagem) ou em outras palavras, o computador só consegue entender dois estados, o desligado e o ligado, surgindo neste momento a “Linguagem de Programação”

No inicio, a comunicação entre a máquina e o homem era feita somente através daqueles dois símbolos (conhecida por linguagem de baixo nível), uma linguagem complexa e com nível baixo de entendimento, tornando lenta a escrita devido ao alto índice de cálculos, transformando aquela linguagem de comunicação complexa e impraticável.

O homem decide inventar uma forma diferente de comunicação entre ele e a seu novo companheiro – O Computador – surgem às linguagens de alto nível, que se assemelham a linguagem humana. A solução foi criar um “Tradutor” da linguagem “quase humana” para a “linguagem de máquina”, surgiam os “compiladores” e os “interpretadores” da Linguagem de Programação.

Inicialmente escritos em linguagem de baixo nível, utilizando os símbolos “0 e 1”, o homem consegue criar uma ponte intermediária entre o que o homem entende com o que a máquina entende, em outras palavras, foi criado um tradutor da linguagem de alto nível para a linguagem de baixo nível, gerando arquivos com o dialeto específico da máquina, do qual o homem pode escrever instruções com uma linguagem semelhante a que ele fala e o compilador traduzir estes comandos para a linguagem que a máquina entende (binária), assim surge uma nova forma de comunicação, onde entre os extremos temos um objeto que entende ambas as línguas e as transcreve para cada lado das extremidades mantendo a comunicação segura e confiável.

A partir da criação do compilador ficou mais fácil criar novas linguagens de programação, tornando-as cada vez mais próximas da linguagem humana – A proposta é exatamente esta, facilitar a criação de novas linguagens tornando-as cada vez mais próximas da língua humana.

A infinidade de linguagens que abrangem o mundo da informática, atualmente, tem como objetivo tornar cada vez mais próximo a linguagem humana com a linguagem de programação, criando para cada linguagem o seu próprio interpretador, e cada linguagem com a sua proposta de comunicação.

Hoje a gama de Linguagem de Programação é muito grande, cada qual com sua proposta, facilidades e dificuldades, não que uma seja melhor que a outra, mas sim, qual delas é a que o um determinado homem se sente melhor para se comunicar com a máquina.

Da mesma forma que temos várias línguas faladas pelo mundo, foram desenvolvidas várias Linguagens de Programação cada uma com seu dialeto, suas regras, sua sintaxe, mas todas com um único objetivo, instruir o computador a executar funções e retornar resultados através de seus cálculos.

Em suma, a Linguagem de Programação nada mais é do que a forma do homem se comunicar com a máquina inserindo instruções e conhecimentos, para esta conseguir executar tarefas e apresentar seus resultados conforme as necessidades e objetivos que o homem traçou. Linguagem de Programação nada mais é do que apenas uma nova forma de falar, de se comunicar.

Deixe uma resposta